Descubra quais são os tipos de contrato em uma Editora Musical

Antes de fazer um contrato e entregar sua obra e possivelmente o seu futuro artístico nas mãos de uma Editora Musical, é importante saber que tipo de contrato estabelecer. Continue a leitura e saiba mais sobre os tipos de contrato você pode fazer com uma Editora musical.

Quais os tipos de contrato existem?

Basicamente, os contraos se apresentam de duas formas:

  • Contrato de cessão de direitos patrimoniais do autor: Neste caso, o autor cede, de forma onerosa ou não, a totalidade ou parte de seus direitos patrimoniais com exclusividade. A editora licencia de forma exclusiva as diversas modalidades de uso de uma obra musical. Este contrato obriga o autor a não emitir qualquer autorização para uso de sua obra sem prévia confirmação e aceitação da editora, já que esta tem a exclusividade na negociação. Normalmente, uma boa editora sempre consultará o autor da obra para autorizar uma solicitação

 

  • Contrato de edição de obra musical: Esse tipo de contrato também gera a cessão dos direitos patrimoniais, mas a editora se obriga a divulgar e promover as obras além de licenciar e proteger o seu uso. Às vezes incide aqui uma cláusula de obras futuras, quando o autor se compromete a manter nessa editora seus futuros trabalhos com exclusividade. No Brasil, geralmente o prazo para esse tipo de contrato é de 5 anos. Os percentuais contratados e todos os demais termos são acordados entre as partes. O contrato de edição pode também definir o território de abrangência, assim um autor pode ter um editor somente para o território brasileiro e outro para o representá-lo mundo afora.

editora musical

Entenda melhor

Algumas pessoas ficam receosas de fazer um contrato com uma editora, por imaginar que vão pagar algo. Geralmente as pessoas pensam em contratos em termos de percentual. Elas imaginam, eu quero ficar com 100% dos lucros com a minha música. Mas, se a sua música não for divulgada e monetizada serão 100% de quê mesmo?

A editora consegue ajudar a pessoa a potencializar os usos e os lucros. O resumo de uma editora, se pudesse haver, é promover e proteger uma obra. Fazer com que mais pessoas ouçam e usem a obra. E que os recolhimentos apropriados ocorram. Fazer sozinho além de ser muito mais difícil certamente é menos frutífero.

Existe ainda uma outra linha que deve ser levada em consideração. A editora cuida de tudo, do começo ao fim: de fazer, cantar, vender, decidir o valor físico e metafísico. É um volume grande de trabalho, e que se for feito por uma equipe competente pode gerar grandes frutos!

Afinal, o mercado musical implica em decisões e em cada um escolher o seu caminho. Todas as alternativas são válidas e devem ser avaliadas. Por isso é importante ter especialista lidando com o seu material!

Agora que você já sabe um o por que precisa de uma editora musical que tal saber um pouco mais sobre distribuição de áudio e vídeo neste post aqui!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s